quarta-feira, 18 de novembro de 2009

É preciso lata

Eu gostaria de saber desde quando é admissível que num formulário para arrendamento de casa se pergunte se estou a planear ter filhos num futuro próximo. Primeiro, o senhorio não tem nada a ver com isso. Segundo, se isso estivesse a ser planeado então não estaria a querer alugar um estúdio. Terceiro, espero sinceramente que essa pergunta seja mantida nos formulários dos candidatos masculinos (eles também têm filhos presumo). Por vezes na minha vida sinto remorsos por não ter estudado algo tão útil como Direito. Esta é uma dessas vezes.

8 comentários:

G! disse...

nonsense total...

ecila disse...

G! Outrageous
(falta-me melhor palavra)

Helena disse...

Nem sei que diga...
Fui-me informar na internet: o senhorio não pode fazer perguntas sobre gravidez, ou se vai haver crianças na casa.
Ó, aqui:
http://www.faz.net/s/RubA5A53ED802AB47C6AFC5F33A9E1AA71F/Doc~E476BECB13549434CBBB45960CC61F050~ATpl~Ecommon~Scontent.html

(espero que o link funcione. Se não funcionar, procura por aqui: Was der Vermieter fragen darf - Von Ricarda Breiholdt)

Neste caso, podes mentir à vontade, segundo essa jurista.
"Eu, gravidez? Que ideia! Isto é só flatulências..."

Enquanto procurava, descobri um caso de um prédio cujos habitantes não queriam crianças por perto.
(Devem ter todos um óptimo seguro de reforma...)
Não sei se isso é legal. Se for, então a pergunta sobre a produção filhícola é incontornável. Ou então, uma cláusula no contrato de arrendamento: mal tenha um filho, tem de procurar outro alojamento.
Bem: não percebo nada disto.

ecila disse...

Helena, reenviei para amigos que também andam à procura. É bom ter esta informacao nas maos. Muito, muito obrigada!

Fiquei logo com muito má impressao do senhorio, e apesar da sua insistência (até demais o que também achei estranho) já o pus a andar (educamente mas expliquei mesmo porquê). Gracas a Deus nao estou a dormir na rua, logo nao tenho que engolir este tipo de abusos.

Acho que é muito filho-contra-producente este tipo de coisas. Nao sei se sao legais, mas se sao, entao a minha fé na justica fica muito abalada. Ontem estava num café com uns amigos e cada um contava as suas aventuras de busca-de-casa, ainda nos rimos de tanta coisa absurda (rimos apesar de serem coisas até muito sérias).

Beijinhos e mais uma vez obrigada :-)

ntozei disse...

São daquelas coisas que não devem ser perguntadas, se não for porque é ilegal, é porque é invasivo mesmo. Mas tem quem pergunte. Quem não dê a mínima pra sua privacidade ou pro fato de você se sentir discriminada com a possível resposta. E tem quem se recuse a oferecer algum serviço por algo que pode ser que um dia, num futuro, aconteça. Revoltante, de fato.

ecila disse...

ntozei, tens toda a razao, é invasivo e revoltante (palavra que me faltava no comentário acima).

Morena disse...

Não é admissível, ponto final. Era o que mais faltava.

Isabela

ecila disse...

Isabela, a lata, a lata desta gente!