quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

O que realmente comemos

"O consumidor já não tem a mínima ideia de como as coisas agora funcionam ou são feitas. Nós trabalhamos com animais vivos que têm que ser chocados, depois engordados e finalmente têm de ser abatidos. Neste ciclo de produção de oito semanas as coisas podem dar errado e as pessoas já não têm a mínima consciência disso.
As pessoas estão cada vez mais desligadas, cruéis e insensíveis, só lhes interessa fazer dinheiro. Porque é que é assim? Porque já não há ninguém em cargos importantes que não tenha perdido a ligação à terra. (...) já não têm nenhuma relação com as suas raízes e vêem a agricultura como todas as outras pessoas vêem, como é representada nos anúncios e em imagens idealizadas do passado, sem relação com a realidade."
Hannes Schulz, criador industrial de frangos




"Comércio livre não tem nada a ver com a liberdade. (...) Quando a Nestlé, por exemplo, vai contra um sindicato de agricultores africanos, é como o pugilista Mike Tyson ir para o ringue contra um bengalês subalimentado."
Jean Ziegler, Relator das Nações Unidas sobre o Direito à Alimentação

Mais sobre o documentário We Feed the World aqui

5 comentários:

Ariadne disse...

Coloco-me a mesma questao cada vez que estou no supermercado (no mínimo). O mais estranho é teres que pagar 50% mais pela qualidade, agora "bio", que há vinte anos era perfeitamente normal. Quando paramos para pensar, ficamos doidos (ou já diriam os algarvios gazeados). Sinto-me muitas vezes muito triste com a humanidade e nem faco a mínima ideia como fazer algo para mudar. Deixei de comprar morangos e bananas, em prol do ambiente, mas ainda nao consegui desistir dos steaks...

Isabela disse...

Eu não como carne a não ser de aves, e raramente. Como peixe. Não quero, mas ainda não consegui saltar esta parte. Faço cada vez mais comida com vegetais. Gosto. A industrialização da carne é criminosa.

ecila disse...

Pois é Ariadne, também acho estranho que se pague tanto por bio, mesmo assim e porque até posso invisto no bio. Quando morava perto de quintas (saudades disso) ia sempre à sexta comprar os produtos da terra, dava um passeio a pé e até pão comprava (o único pão alemão comparável ao alentejano ;-)
Também me sinto triste com a humanidade. Mais com as pessoas que preferem não saber. Porque a maioria sofre só de falta de informação. Explica-me por favor porque é que não comes morangos e bananas, não sei disso...

Isabela, estou exactamente como tu. Só não devo ser tão boa cozinheira ;-) ando mesmo a precisar dum curso vegetariano. Os meus poucos dotes culinários incluíam peixe ou carne, agora ando cada vez mais às aranhas (não como aranhas atenção ;) Viram o filme Earthlings? As minhas decisões consolidaram-se depois de ver isso...

Beijinhos às duas :)

Nikky disse...

Eu tenho imenso cuidado com o que compro. E tenho a enorme vantagem de conseguir fazer a maior parte das compras numa quinta! Aí o bio é barato e têm sabor de verdade.
E se quiseres umas ideias para pratos vegetarianos bem simples, é só dizeres!

ecila disse...

Nikky, que sorte tens de poder fazer compras em quintas. Sinto falta disso, inclusive do passeio ;-) Receitas simples e saudáveis serao muito bem vindas, sério. Obrigada!