terça-feira, 1 de junho de 2010

Não tenho uma mente abstracta


Uma das melhores séries de todos os tempos. Épica, criativa, guião como nenhum outro, personagens de impacto memorável, internacional, alimentadora de debates, James ou Jack a eterna dúvida (não só da Kate), os maravilhosos sotaques, a fantasia, o mistério, tudo, tudo. Tudo, tudo que incrivelmente conseguiram estragar com o final: não percebi.
Isso chateia-me um pouco. Porque andava a queixar-me que não sabia o que ver para substituir Lost, que não haveria outra tão interessante outra vez, drama sincero da minha parte. E pronto, afinal não será nada assim, porque séries com maus finais é o que mais há. Até comentei que, pela primeira vez (tirando o Seinfeld) teria que comprar os DVDs da série toda. O que se passou com o "Lost" passa-se também com alguns livros. Podemos estar a ler um livro que julgamos ser uma revelação, uma obra-prima, finalmente algo que vale a pena. Mas depois o fim é um desastre, uma desilusão. E isso estraga toda a impressão que era suposto o livro ter deixado. Quando nos perguntam o que achámos, respondemos mais ou menos, passamos de nota 5 para uma nota 3. Um fenómeno que se deve a um processo cognitivo interessante, relacionado com o funcionamento da memória e que se chama "recency effect" ("efeito recente"?!?). Este processo consiste numa relevância desproporcionada que atribuímos a estímulos recentes, em detrimento de estímulos passados, i.e. os factos mais recentes são retidos na memória de uma forma desproporcional em relação aos anteriores, aumentando em duração e importância. Não tenho culpa, chama-se psicologia.

Como não ter que explicar nada a ninguém e obrigar a aceitar e calar? Com uma palavrinha apenas: religião. Pronto, é assim, foi tudo em sentido figurado, simbólico, cada qual interpreta à sua maneira. Pormenores não interessam, libertem-se dos pormenores e vejam o todo. Blá, blá, blá, somos todos um só e irmãos e vamo-nos abraçar sem fazer perguntas. Quem pensar muito não pertence ao grupo dos que fingem que entenderam o final.

Só tenho mais uma coisa a dizer: vá lá que não foi tudo um sonho!

2 comentários:

subtilezas disse...

eu vi uns episódios e gostei, mas perdi a paciência de seguir. lembro-me de pensar que das duas uma, ou teria um final desastroso ou genial. sempre acreditei mais na primeira hipótese. ando a ver séries muito giras, como esta que tenho a certeza que vais gostar:
http://www.youtube.com/watch?v=sBCE9oIuN24

ecila disse...

subtilezas, gostei do trailer, vou cuscar. Obrigada! :-)